CONFERENCISTAS CONVIDADOS

Haverá tradução simultânea das conferências para inglês, francês e italiano

There will be simultaneous translation of the conferences into English, French and Italian

Ci sarà lá traduzione simultanea delle conferenze in inglese, francese e italiano

Il y aura traduction simultanée des conférences en anglais, français et italien

Prof. Dr. Umberto Galimberti, PhD- Itália

Umberto Galimberti, é um dos principais filósofos contemporâneos na Europa, foi professor de filosofia da história, de psicologia geral e de psicologia dinâmica na Universidade de Veneza. É membro da Associação Internacional de Psicologia Analítica. Hoje em dia colabora com o jornal “La Republica”. Publicou vários livros significativos, como um estudo sobre Heidegger e Jaspers (1975-1984)  e entre eles  “Psiche e techne- o homem na idade da técnica", livro publicado no Brasil. Está em curso uma publicação completa de sua obra pela Livraria Feltrinelli.

Conferência: Psique e Techne

Continuamos a pensar a técnica como um instrumento a nossa disposição, ao passo que ela se tornou o ambiente que nos cerca e nos constitui segundo as regras de racionalidade que, misturando-se os critérios da funcionalidade e da eficiência, não hesitam em subordinar as exigências do homem às exigências do aparato técnico. Sem saber, nos movemos ainda com as características típicas do homem, pré-tecnológico que agia em vista dos objetivos inscritos num horizonte de sentido, com um conjunto de ideias e sentimentos nos quais se reconhecia. Mas a técnica não tende a um objetivo, não promove um sentido, não abre o cenário de salvação, não redime, não revela a verdade: a técnica funciona. E porque o seu funcionamento se torna planetário, nos propomos a rever os conceitos de indivíduo, identidade, libertação, salvação, verdade, objetivo, consciência, bem como os de natureza, ética, política, religião, história, dos quais se nutria a idade humanística e que agora, na idade da técnica, devem ser reconsiderados ou refundados a partir da raiz.

Prof. Dr. Ivan Izquierdo, PhD - Brasil  

Ivan Antonio Izquierdo é um médico e cientista argentino naturalizado brasileiro. Construiu sua carreira na Argentina e foi pioneiro no estudo da neurobiologia da memória e do aprendizado. É coordenador do Centro de Memória - Instituto do Cérebro do Rio Grande do Sul -  Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul.

Conferência: CRIATIVIDADE: Compreender para poder decidir
Tratará sobre o fato de que muitas coisas mudaram e mudam constantemente neste mundo.  Precisamos incorporar esses conhecimentos novos para não tomar decisões erradas.  Não podemos aceitar conhecimentos antigos ou crenças não fundamentadas que, numa atualidade crescentemente complexa podem acarretar prejuízos.  Devemos perguntar, a cada passo, "Qual é a evidência?' , e não aceitar a falta desta.

Prof. Dr. Maurizio Stupiggia, PhD- Italia 

Psicoterapeuta de orientação corpóreo-expressiva. Formado inicialmente em âmbito psicanalítico, com o tempo cultivou interesse no trabalho clínico com o corpo, especializando-se com alguns terapeutas psico-corporais como Boadella, Brown, Lowen, Downing e Liss. Com esse último fundou Escola Biossistêmica, que reúne e integra muito conhecimento acumulado em seus anos de formação e trabalho. É atualmente professor de Psicologia Clínica da Universidade de Gênova, Faculdade de Medicina e Cirurgia, Professor assistente da  West Deutsche Akademie di Dusseldorf; diretor da Escola de especialização em psicoterapia Biossistêmcia de Bolonha. Trabalha no âmbito clínico e formativo em diversos países da Europa, Japão e América Latina.Inúmeros artigos publicados e publicou um livro traduzido em muitas línguas: “O Corpo Violado “ e  “Terapia Biossistêmica".

 

Conferência: A Identidade Enraizada na dobradiça entre corpo e mente

O mundo atual está dissolvendo seus limites, pessoais e sociais, criando assim uma situação fortemente polarizada entre a con-fusão e a rígida imobilidade.
A globalização também investiu no social e no afetivo, passando pela categoria psico-social e acelerando muito o processo de dissolução da velha identidade. Sempre que estamos de frente a essa aceleração temporal, as pessoas tendem a reagir de maneira oposta: de um lado perdem rapidamente contato com a própria identidade e se fundem no fluxo da época “líquida”, de outro lado resistem tenazmente, enrijecendo-se no próprio presente; e mesmo sonhando um mítico retorno ao passado: a “retrotopia”de Baumann.
Tudo isso pode acontecer num universo individual, seja no mundo institucional ou social.
O rito individual de passagem, como por exemplo da adolescência à idade adulta, se é ignorado, o sentimento de perda fica evidente.
Penso que a possibilidade de enraizamento pode ser confiada ao nosso sentir emocional, que se torna a dobradiça da conexão entre corpo e mente, um modo de ser flexível que supera a dicotomia confuso/rígido, uma maneira de restaurar um sentido mais amplo da identidade individual, não exclusivamente enraizada no âmbito cognitivo, e que representa uma resposta à necessidade de intensidade e universalidade.

Profa. e Psicoterapeuta Christiane Lewin- França

Psicoterapeuta corporal, co-diretora da Escola de Biodinâmica Francesa, professora, conferencista e supervisora internacional na Europa, América Latina e Japão. Membro da EABP (Associação Européia de Psicoterapia Corporal) desde o começo, foi também membro do comitê de ética por 8 anos.

Conferência: Como encontrar o ritmo que nos coloca em relação com o outro

Nosso mundo evolui, a humanidade evolui em seus extremos, construtivos ou destrutivos. Há 15, 20 anos, já existia a questão de exílio interior com a solidão vivenciada no seio das próprias cidades dormitórios. A situação deteriorou-se mais com a introjeção dos maus tratos ou abuso. Não somente as pessoas se encontram isoladas, mas mais ainda, tendo integrado o fato de terem sido deixadas a deriva, sem a preocupação de suas próprias necessidades. Então o que fazer? Como encontrar nossos ritmos? Como encontrar-se a si mesmo em conexão com os outros? Iremos explorar esse tema sob o angulo da psicologia biodinâmica.

 Prof. e Psicoterapeuta François Lewin- França 

Psicoterapeuta Corporal em psicologia Biodinâmica. Co-diretor da Escola Francesa. Conferencista internacional na França, Belgica, Italia, Grecia, Japão , Brasil e Argentina. Cientista Social. Supervisor internacional. Membro fundador da EABP (Associação Européia de Psicoterapia Corporal). Ex-diretor de tesouraria da EABP, membro do Fórum Social. Ex-presidente do Comitê Científico de psicoterapia corporal. Organizador do congresso em Paris de 2008.

Conferência: Confronto com a idéia de progresso

De frente para as crises globais ecológica, política, financeira e geo-estratégica, é o momento de confrontar-se com a ideia de “Progresso” cunhada no século da luz. Que sentido podemos encontrar e como adaptar o mundo a uma mudança? Em quais capacidades devemos focar nesses tempos de rupturas. Todas as tradições nos estimulam a procurar uma sabedoria mais profunda conectando-nos ao nosso interior ou por conexão transcendental. O tempo em que tudo começa a falir  é o tempo em que tudo pode ser redescoberto. Não é o momento de se comportar de forma precavida é o momento de movimento face à destruição ecológica.

Dra Marisa Correa da Silva - Brasil 

Filha de mestiços emergentes, nascida e criada no Rio de Janeiro, formou-se em medicina na UFRJ em 1979, especializando-se, em Medicina Física e Reabilitação, exerceu a fisiatria e atuou paralelamente em movimentos ligados às questões raciais e de saúde do trabalhador até 1988.

Emigrando nesta época para a Alemanha, especializou-se em psiquiatria e psicanálise, e lá exerceu as especialidades até 2005. Retornou ao Brasil em 2005, radicando-se em São Paulo, paralelamente à prática psiquiátrica e psicanalista, retomou o engajamento com as questões raciais e trabalhistas, incluindo o estudo dos efeitos da vivência de racismo no desenvolvimento psicossocial do indivíduo.

Conferência: A questão afro e a psicoterapia

Prof. e Psicoterapeuta Menno de Lange- Holanda  

 

Mora e trabalha em Amsterdã, Holanda. Desde 1987 é co-fundador e diretor de Instituto Holandês de Psicologia Biodinâmica. Esta é uma psicologia transpessoal baseada no corpo. É psicoterapeuta, professor e supervisor na Holanda, Alemanha, México e França.

 

Conferência: O corpo, lugar para se estar 

 

 

O corpo é o lugar para estar em qualquer situação, para qualquer necessidade, ação, em qualquer sabedoria. O corpo é a fonte de regulação e integração de qualquer experiência em qualquer ser humano. O corpo é a entrada para a compaixão, a cura e a criação. O corpo é a base real do eu pessoal, permitindo-nos nos orientar para o que for necessário para a mudança. O corpo fornece qualidades e nos mostra o caminho para nos tornarmos uma contribuição viva para a transformação. Todos nós temos um relacionamento ambivalente com nossos corpos. O corpo também é extremamente vulnerável, uma fonte de dor, doença, envelhecimento e vai morrer. Nossas chamadas forças animais estão inseridas em nossos instintos de sobrevivência, sexuais e sociais. Esses instintos estão levando nossas vidas e precisamos nos conectar, respeitar e lidar com eles. Nesta conferência, explorarei a dinâmica entre as forças internas do corpo para manter o "Caos e a Rigidez" e como se abrir para uma nova consciência incorporada da relação interior de vulnerabilidade e poder.

Profa. e Psicoterapeuta Rosanna de Sanctis- Itália

Rosanna De Sanctis Psicóloga Biossistêmica, Presidente da iDee Association. Professora da Escola de Pós-Graduação de Biossistêmica de Bolonha. Há mais de 20 anos que trabalha na educação e no apoio à infância e a adolescência. com intervenções psicoeducacionais para pessoas com deficiência e suas famílias. É criadora do grupo Eco, aconselhamento clínico e educacional multidisciplinar em sofrimento psicológico e educacional. É autora do documentário "Dreaming Gianni Morandi" produzido pela Associação iDee em 2017 sobre a Experiência de Vida Independente para pessoas a com Síndrome de Down 

Conferência: Pessoas portadoras de deficiência, projetos e perspectivas de futuro? Para mudar a atitude cultural sobre a deficiência, você precisa tomar consciência do que significa ativando processos empáticos, respeito e solidariedade. A inclusão de pessoas com deficiência é um grande desafio que pode ser abordado através do aumento das diferenças através da ativação de caminhos, intervenções e métodos capazes de apoiar os deficientes e a família.

Dr. Gabriel Graça de Oliveira, Phd - Brasil

Graduou-se em medicina na Universidade Federal de São Paulo / Escola Paulista de Medicina em 1993; especialista em Psiquiatria pelo Departamento de Psiquiatria da Universidade Federal de São Paulo/ Escola Paulista de Medicina(1996) e mestre em Psiquiatria(1999) pela mesma instituição; especialista em Terapia Comportamental e Cognitiva: Teoria e Aplicação pelo Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo (1999); concluiu o doutorado em Ciências pelo Departamento de Medicina Preventiva da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo em 2005, após período sanduiche no Departamento de Psicologia Médica do Instituto de Psiquiatria da Universidade de Londres. Ex-Fellow do Royal College of Psychistrists (UK). Foi coordenador do Curso de Graduação em Medicina e do Programa de Residência Médica em Psiquiatria da Universidade de Brasília. Atualmente é Professor Adjunto, Coordenador do Laboratório de Psiquiatria e Humanidades do Departamento de Clínica Médica da Faculdade de Medicina da Universidade de Brasília e coordena o Programa de Reabilitação Psiquiátrica do Hospital Universitário de Brasília - UnB.

 

Conferência: Questões de gênero e o social

As trans-identidades têm ganhado crescente espaço social nos últimos anos. O debate acerca dessa condição possibilita uma reflexão que transcende, sem prescindir, o entendimento de sua natureza.  As dificuldades epistemológica e ideológica na compreensão de um fenômeno que desafia as crenças e regras normatizadoras da trama das relações humanas revela seu caráter transgressor. A ruptura com a tradição tem compromisso com a evolução, mas não sem apresentar resistências e conflitos. Assim, como em outros campos da vida, as questões de gênero engendram o presente na tensão dialética  entre os compromissos do passado e as “promessas” do futuro.

Prof. Dra Flavia Piovesan, PhD- Brasil

Flávia Cristina Piovesan é uma jurista e advogada pública brasileira, conhecida por sua obra voltada aos Direitos Humanos e ao Direito Internacional. Desde junho de 2016, ocupa o cargo de Secretária Especial de Direitos Humanos no Governo Federal.Em 2018 ocupará o importante cargo de membro da Comissão Interamericana de Direitos Humanos na OEA. É professora doutora da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP) e procuradora do Estado de São Paulo

Conferência: Desafios contemporâneos dos direitos humanos em um contexto de caos e rigidez
Como fortalecer os direitos humanos como idioma da alteridade em um cenário marcado pela crescente polarizacao, intolerância e discriminação? Quais sao os limites e potencialidades da plataforma emancipatória dos direitos humanos no processo de construção de sociedades mais livres, justas e igualitárias?

 Prof. e Psicoterapeuta Dr. José Alberto Cotta, PhD - Brasil 

José Alberto Cotta é Psicoterapeuta, Pós-Doutor em Psicologia Clínica – Universidade de São Paulo – USP, Pesquisador do Instituto de Psicologia da USP, Doutor em Psicologia Clínica – USP, Trainer Internacional do International Institute of Biosynthesis - Suiça, Co-Organizador e co-autor do livro Psicanálise e Literatura – Imre Kertész e o desterro humano (Editora e-galaxia), tem artigos publicados em revistas brasileiras e estrangeiras, palestrante em seminários e congressos no Brasil e no exterior.

Mediador dos conferencistas/Mediator

Prof. Dr. Gilberto Safra, PhD - Brasil  

Gilberto Safra é um psicanalista brasileiro. É Mestre, Doutor em Psicologia Clínica e professor titular da Universidade de São Paulo (USP), docente do programa de pós-graduação da Pontifícia Universidade Católica (PUC), coordenador do Laboratório de Estudos da Transicionalidade (LET) e do Programa de Formação Continuada (Profoco).

Conferência: A esperança como comunidade

Diante da situação socio cultural, na qual se encontra como fenômeno frequente a fragmentação ética que leva ao aparecimento de novas modalidades de subjetivação decorrentes da hipertrofia da técnica, vemos na experiência comunitária um lugar de esperança. A comunidade aqui é fundada como comunidade de destino na experiência do sofrimento. A comunidade emerge como lugar de destinação ética do sofrer e como ação micropolítica.

Psicanalista. Membro Efetivo e Presidente da SBPRJ. Membro da Comissão Executiva da Revista Calibán-FEPAL. Membro da Equipe Editorial da seção Vórtice da Revista Calibán-FEPAL. Membro da Comissão de Educação e Transmissão Psicnalaística da FEPAL, até 11/2017.

Conferência: Corpo negro: indiferença na morte, indiferença na vida

Interessa-nos dar voz ao que está silenciado, fazer falar, método que nos permite compreender o que nos marca como sujeitos, frutos de um processo histórico. Narrar esta história, é, portanto, tomar posse, em nós, em nossos corpos, das dores e sofrimentos que, ainda hoje, traduzem-se em sofrimento psíquico, abandono, violência e desesperança.

Psicanalista Wania Cidade- Brasil

Psicoterapeuta e professor, trabalha com consultório em São Paulo, além de supervisionar e formar psicoterapeutas no: Brasil, França, Itália, Hungria, Japão e Inglaterra.  Dá conferências e  formação em diversos outros países. Professor convidado do Instituto de psicologia da USP. Mestre em Comunicação pela PUC-SP e Doutor em comunicação pela Universidade de Bolonha. Publicou o livro “O corpo no limite da Comunicação”   e o e-book:   "Sense development through non verbal signs: early infancy and clinical psychotherapy (English Edition)”

Conferência: Manifesto na expectativa de uma mudança

No futuro seremos resultado do passado, hoje somos o passado de amanhã. A conscientização desse fato já levará pelo menos uma parte de nosso mundo a uma comunicação mais ecológica, quem sabe evitando algumas das dissociações graves de nossa época causadas tanto pelo mau uso da tecnologia, quanto como uma fuga do corpo real a um corpo virtual, levando a identidade a um sem fim de possibilidades na sociedade e na política. O destino parece sempre nos levar aos extremos de caos ou rigidez, de luta ou de fuga, com uma dificuldade imensa de tolerar o diálogo e sair das adições.

Prof. e Psicoterapeuta Dr. Rubens Kignel, PhD- Brasil 

 

WORKSHOPS TEÓRICOS E EXPERIENCIAIS

Domingo (29/04/2018) das 9h as 12h com:

François Lewin e Christiane Lewin; Umberto Galimberti;

Rosanna de Sanctis; Menno de Lange; José Cotta e Rubens Kignel.

Qualquer dúvida escreva para

contato@caoserigidez.com.br

EM BREVE MAIORES INFORMAÇÕES